Cine – PE segue como um dos festivais mais importantes do país

 

O Festival brasileiro do audiovisual Cine-PE, confirmou em 2008 a sua importância dentro do calendário de eventos cinematográficos do Brasil.

   Ao longo de 12 anos, o Festival já recebeu mais de 185.000 pessoas, já inscreveu mais de 776 curtas-metragens e 215 longas-metragens, e já exibiu mais de 540 destes filmes.

    Este ano, o evento aconteceu do dia 28 de abril a 04 de maio em Pernambuco, na cidade de Recife e foi marcado por excelentes curtas-metragens, que de fato, brilharam em meio a platéia diária de 3 mil pessoas.

   O paulista Café com Leite, de Daniel Ribeiro, levou ao nordeste uma dose grande de sensibilidade e arrancou suspiros sinceros da platéia durante sua exibição, contando uma história sincera e comovente.

   Os paraibanos Amanda e Monick e O Guardador dos diretores André da Costa Pinto e Diego Benevides respectivamente, foram muito bem recebidos pela crítica e levaram diversos prêmios, entre eles o de ‘Especial da crítica’ para O Guardador e melhor curta digital para Amanda e Monick, além disso, o Canal Brasil comprou os direitos e formalizou a aquisição de O Guardador para ser exibido em breve no canal.

   O emocionante Até Onde a Vista Alcança do pernambucano Felipe Peres Calheiros, que contou a história da comunidade de Quilombola, e sua luta pela captação de recursos para melhoria de sua terra, levou o prêmio de melhor curta-metragem, segundo o júri popular.

   Dossiê Rê Bordosa, uma animação muitíssimo bem feita, por César Cabral, brinca com a personagem ‘Rê Bordosa’ do cartunista Angeli, e levou os prêmios de melhor trilha-sonora para Cláudio Augusto Ferreira e melhor roteiro para Leando Maciel e César Cabral.

   Comprometendo a Atuação de Bruno Bini, levou o prêmio de melhor ator dos curtas-digitais para Jonathan Haagesen, que vive um jogador de futebol em meio a um grande dilema: aos 18 anos tem a chance de ser convidado para jogar em um grande clube, mas paralelo à isso tem de abrir mão do sexo antes dos jogos, o que lhe custa uma briga com sua namorada.

   Já os longas metragens, não deixaram muita margem para dúvidas, uma vez que o inédito Nossa Vida não Cabe Num Opala de Reinaldo Pinheiro e Bodas de Papel de André Sturm, levaram quase todos os prêmios, incluindo: melhor longa, melhor direção de arte, melhor trilha sonora, melhor edição de som, melhor atriz coadjuvante, melhor atriz e melhor roteiro.

 

 

Confira agora a lista completa dos vencedores:

 

Premiações/Longas-Metragens:

 

Melhor Direção de Arte: Mônica Palazzo (Nossa Vida não Cabe num Opala/Ficção/SP)

Melhor Trilha Sonora: Maestro Amalfi e Mário Botolotto (Nossa Vida não Cabe num Opala/Ficção/SP)

Melhor Edição de Som: Fernando Hanna e Simone Alves (Bodas de Papel/Ficção/SP)

Melhor Montagem: Ligia Walper (Brizola Tempos de Luta/Doc./RS)

Melhor Ator Coadjuvante: Eduardo Moraes (Simples Mortais/Ficção/DF)

Melhor Atriz Coadjuvante: Cleide Yácones (Bodas de Papel/Ficção/SP)

Melhor Ator: Chico Santana (Simples Mortais/Ficção/DF)

Melhor Atriz: Maria Luiza Mendonça (Nossa Vida não Cabe num Opala/Ficção/SP)

Melhor Fotografia: Roberto Santos Filho (O Retorno/Doc/SP)

Melhor Roteiro: Di Moretti (Nossa Vida não Cabe num Opala/Ficção/SP)

Melhor Direção: Rodofo Nanni (O Retorno/Doc/SP)

Melhor Longa-Metragem: Nossa Vida não Cabe num Opala (Ficção/SP)

• Prêmio Especial do Júri Popular: Bodas de Papel-Ficção/SP. Direção: André Sturm

• Troféu Gilberto Freyre: Guia Prático, Histórico e Sentimental da Cidade do Recife-Doc/PE (Direção: Leo Falcão)

 

Premiações/Curtas-Metragens em 35mm:

 

Melhor Direção de Arte: Alonso Pafyeze (Os Filmes que não Fiz/MG/Ficção)

Melhor Trilha Sonora: Cláudio Augusto Ferreira (Dossiê Rê Bordosa/SP/Animação)

Melhor Edição de Som: Aurélio Dias e Leonardo Sette (Ocidente/PE/Doc)

Melhor Montagem: Caroline Leone (Saliva/SP/Ficção)

Melhor Ator: Jonathan Haagesen (Comprometendo a Atuação/MT/Ficção)

Melhor Atriz: Helena Albergaria (Um Ramo/SP/Ficção)

Melhor Fotografia: Lula Carvalho (Trópico das Cabras/SP/Ficção)

Melhor Roteiro: Leando Maciel e César Cabral (Dossiê Rê Bordosa/SP/Animação)

Melhor Direção: Esmir Filho (Saliva/SP/Ficção)

Melhor Filme: Os Filmes que não Fiz (MG/Ficção/Direção de Gilberto Scarpa)

• Prêmio Especial do Júri Oficial: Até o Sol Raiá/PE/Animação. Direção de Fernando Jorge e Leandro /Amorim

• Prêmio Especial do Júri Popular: Dresznica/RJ/Doc./Direção de Ana Azevedo

 

Premiações/Curtas-Metragens Digitais:

 

Melhor Montagem: Érico Rassi (Um pra Um/SP)

Melhor Roteiro: Everson Klein (Porcos não Olham para o Céu/RS)

Melhor Direção: Daniel Marvel (Porcos não Olham para o Céu/RS)

Melhor Filme: Amanda e Monick/PB (Direção de André da Costa Pinto)

• Prêmio Especial do Júri Oficial: O Guardador (PB)/Direção de Diego Benevides

• Prêmio Especial da Crítica: O Guardador (PB)/Direção de Diego Benevides

• Prêmio Especial do Júri Popular: Até Onde a Vista Alcança (PE)/Direção: Felipe Peres Calheiros

• Prêmio Aquisição Canal Brasil: O Guardador (PB)/Direção de Diego Benevides. R$ 10 mil.

• Prêmio Josué de Castro: Prêmio Especial para o longa doc O Retorno (SP)/Rodolfo Nanni e Prêmio de Melhor Doc. Social para o curta Câmera Viajante.

• Prêmio Associação Brasileira de Documentaristas (ABD)/Entidade: Troféu para Fundarpe

• Prêmio ABD- Melhor Curta Digital: Ismar/RJ/Direção de Gustavo Beck. Melhor Curta em 35mm: Dreznica/ RJ/Doc./Direção de Ana Azevedo

 

Premiação Mostra Pernambuco:

 

Longas-Metragens:

Melhor Filme: Amigos de Risco/PE/Ficção. Direção de Daniel Bandeira. Prêmio Assembléia de Pernambuco no valor de R$ 10 mil

Menções Honrosas do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica do Estado de São Paulo (Sindicine) para longas:

Menção Honrosa pela Montagem: Gilson Martins/Que Baque é Esse?

Menção Honrosa pela Fotografia: Pedro Sotero/Amigos de Risco

 

Curtas-Metragens:

Melhores Filmes: Miró: preto, pobre, poeta e periférico (Direção de Wilson Freire)/Doc. Prêmio Assembléia de Pernambuco no valor de R$ 5 mil. O Triunfo (Direção de Geórgia Alves). Prêmio Assembléia de Pernambuco no valor de R$ 2 mil.

Menções Honrosas do Sindicine para curtas:

Menção Honrosa pelo Roteiro: Paulo Leonardo Fialho/As Scismas do Destino/Animação

Menção Honrosa pela Direção: Geórgia Alves/O Triunfo

 

 

 

 

 

 

Uma resposta para Cine – PE segue como um dos festivais mais importantes do país

  1. Morlance disse:

    Sem dívidas é um festival exponencial dentro do circuíto nacional, a participação do público é enorme e até acredito que o júri fique suscetível as reações da platéia na hora de seu veredicto. Parabéns a todos os vencedores, porque no final o que importa realmente é ser feliz não é mesmo?
    Abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: